Olá,

Muito prazer, Lívia.

Minha história começa às 8h da manhã, da primavera do dia
05 de outubro de 89. Com sol brilhando em libra e ascendendo em escorpião.

A Liloca da infância era serelepe, comunicativa, teimosinha e criativa.
O brilho travesso dos olhos de menina ainda reluzem nos dias de hoje.

Minha família e amigos sempre foram minha fonte de energia positiva.
A fórmula do amor e compaixão que aprendi no meu lar,
dedico a pulverizar em minha jornada.

Falando em jornada, são nas experiências mundo afora que amadureço
e fortaleço para me manter firme no meu propósito.

Meu propósito. Vive em constante evolução. 

Da infância à vida adulta o que me move é poder despertar nas pessoas
a chave para a mudança e evolução de si mesmas.

Moda foi a primeira forma que encontrei. Vestir identidade, disseminar informação política, social, cultural, emocional, reconhecer sua tribo,
se sentir pertencente. A faculdade de Design de Moda com Empreendedorismo pela Puc-Rio, em 2013, fez minha cabeça.

Mas buscava ir mais fundo, queria poder ajudar mais pessoas e marcas
a se expressarem. Foi quando em 2015, em Londres, fui compreender
Comunicação Visual, o universo de Tipografias e Design Gráfico.
Ao final dessa temporada, estava renovada e pronta para servir.

No meu DNA como designer, pulsa a vontade por projetos, estratégias, processos e soluções fora da curva,
sempre em harmonia com uma estética impecável.
Para oferecer esse apanhado de ferramentas poderosas de gestão e criatividade
fui buscar no Design Thinking e no MBA em Innovation Branding a liga que precisava para unir minhas vocações.

Sou uma sonhadora, idealizadora, criativa que se envolve em desafios
porque ama explorar o universo de possibilidades,
para expandir minha percepção e criar meu próprio repertório.

E a investigação nunca pára. É preciso sempre olhar para dentro de mim mesma – relembrar da Liloca – para que as potências naturais estejam em constante florescência. Por mais difícil que possa parecer, o resultado é gratificante: sabedoria.

Saber que frente a complexidade de existir, temos muitos caminhos a seguir.

Das muitas versões, escolhi ser a minha melhor (até o momento).