Olá,
Me chamo Lívia.

Foi na primavera de 89 às 8h da manhã do dia 5 de outubro que minha história começou. Com sol em libra e ascendente em escorpião.

A Liloca (meu apelido de infância), sempre foi muito serelepe, comunicativa, teimosinha e criativa. A pinta no colo e as covinhas no rosto são até hoje minha marca registrada, sempre acompanhadas de um sorriso largo e brilho nos olhos.

Tanta energia positiva só pode ter vindo da mais mágica e potente fórmula: o amor. Nasci em um lar agraciado. A família que me acompanha nessa jornada é o porto seguro que preciso para voar e sempre ter pouso certo.

Falando em voar, um signo de ar só pode mesmo querer se jogar no mundo.
Acho que sempre fui designer, sempre olhei ao meu redor buscando desafiar conceitos enraizados, tentando transformar e mirabolando muito para levar a vida sob um olhar meu, único.

Minha inquietação criativa se fortalece com minha enorme vontade de realizar sonhos. Ainda no início da faculdade, apaixonada pelo universo do Design, alí eu já sabia meu caminho. Foi no meu primeiro prêmio de design, apenas com 20 anos, quando falei pela primeira vez em guarda-roupa fashion coletivo, que percebi que já estava certa do meu caminho.

Não parei mais, e nunquinha tive dúvidas de que minha estrada profissional estaria entrelaçada pra sempre ao pensamento como designer.

Ser uma criativa, projetista, estrategista, desafiadora, é saber explorar o universo de possibilidades. Umas das melhores formas de fazer isso é colocar o pé na estrada, viajar, conhecer culturas diferentes, expandir a percepção, criar meu próprio repertório.

Foi na moda que entendi o comportamento humano como ferramenta de comunicação e pesquisa. As pessoas não param de se comunicar, o tempo todo, para além das palavras. E isso foi me encantando cada vez mais…

Até que fui buscar minha especialização em comunicação visual em Londres, fui beber na fonte dos grandes designer gráficos, calígrafos, tipógrafos, branders, pensadores.

E fui cavando mais e mais fundo…Fui me deixando amadurecer, abraçando novos desafios, olhando para trás, trazendo a tona minha própria história.

Olhar pra dentro é muito revelador, imergir em si mesmo é dolorido mas recompensador. O dom natural se mostra. Quanto mais exploramos a nós mesmos, mais nos surpreendemos com nossas capacidades. Minha adrenalida e sede pela vida mora aqui. Nessa inquietação, nessa eterna investigação.

Esse jeitinho de costurar histórias é hoje o meu ganha pão. Branding já caiu nas graças de quem sabe que para deixar um legado, uma marca no mundo, é necessário muito verdade, muito propósito.

E a Liloca me ajuda muito nessas construções. Assim como todas as Lívias que aparecem nestas fotos. Porque nunca somos uma coisa só. 

Dentre todas que sou, minha melhor versão é ser eu mesma.